Acompanhe a Orquestra
Digite uma palavra-chave
Home
Notícias
Entrevista - Professora Ângela

Entrevista - Professora Ângela

Perguntamos para os professores do Projeto Jovens Músicos sobre seu “Compositor Preferido”. Confira o que a Professora Ângela, que dá aulas de flauta transversal, compartilhou:
 
Ângela Martinelli iniciou seus estudos musicais com o piano, aos 6 anos de idade .  Aos 18 anos, decidiu buscar um instrumento que trouxesse maior possibilidade de socialização. Então escolheu a flauta transversal, com a qual passou a tocar em bandas, encontros musicais e concertos. 
 
Estudou com grandes mestres da flauta do Brasil como Sávio Araújo (OSESP) e Marcos Kiehl em São Paulo. Também participou de masterclasses com E. Pahud, Michel Debost, Alain Marrion, Robert Dick entre outros. É flautista da Orquestra Sinfônica de Americana/SP desde 1995.
 
A Professora Ângela toca Flauta Transversal há 35 anos, está no Projeto Jovens Músicos desde o início, há 6 anos, e tem muito prazer em contribuir com a formação de jovens flautistas.
 
Ângela não teve na família uma influência da música, todavia, formou a partir dela mesma um legado musical ao se casar com um flautista. Seus filhos, Lucas, flautista, se casou com uma violinista, Paola, e Davi é percussionista.  A música faz parte da vida da professora e seu instrumento é como se fosse um pedaço de seu próprio corpo, tamanho é o amor e a dedicação! 
 
Compositores preferidos:  Bach (Johann Sebastian Bach), “ para mim, suas composições trazem  muita paz!”, exclama a professora. “Ele tem um estilo de composição genial.  Teve uma produção enorme, era luterano e tinha uma expressão relevante dentro da Igreja. Os rituais litúrgicos das igrejas às quais esteve à trabalho são repletos de suas composições.  O compositor veio de família ligada à música, teve 20 filhos em 2 casamentos e alguns também seguiram a música. A música para Bach era quase como um sacerdócio”, explicou didaticamente. 
 
A Professora Ângela também mencionou o compositor Debussy (Claude Debussy), lê-se “Debissí”, é pertenceu a corrente do Impressionismo: “ o som de suas composições traz uma sensação de estar nas nuvens!”, relata a professora , que é inspiradora e amorosa em sua fala. 
Dica para quem quer estudar música: no início, praticar diariamente,  um mínimo de 30 minutos e ir aumentando o tempo da dedicação. “Quanto mais cedo começar e puder ter o seu próprio instrumento, melhor. O instrumento começa a fazer parte da vida, do cotidiano”, finaliza em tom de aconselhamento para a vida de quem quer se dedicar à Música.
 
Imagem