Acompanhe a Orquestra
Digite uma palavra-chave

Como Investir

 

Como investir em projetos culturais via renúncia fiscal - Lei Rouanet

*Qualquer pessoa física pode incentivar projetos culturais mediante benefício fiscal, desde que faça a declaração completa do imposto de renda.

*Só podem ser descontados do imposto de renda valores destinados a projetos aprovados pelo Ministério da Cultura via Lei Rouanet. Portanto, antes de incentivar qualquer trabalho, certifique-se de que ele foi aprovado e se está em fase de captação de recursos (se já foi publicada no Diário Oficial da União portaria que autoriza a captação).

*Pelo artigo 18 – que contempla, por exemplo, artes cênicas, produção cinematográfica e videográfica de curta e média metragem, música erudita ou instrumental e exposições de artes visuais -, a dedução do imposto devido poderá ser de 100%, desde que o valor corresponda a até 4% do total a pagar.

*Para obter o benefício fiscal, o incentivador deverá efetuar o depósito na conta do projeto, que foi aberta pelo próprio Ministério da Cultura em uma agência do Banco do Brasil, e o proponente deverá emitir o Recibo de Mecenato, dentro do prazo de captação autorizado pelo MinC. É importante lembrar que os recibos devem ter datas dentro de período que se deseja declarar.

EMPRESA - Como patrocinar? 

Podem patrocinar projetos culturais empresas tributadas pelo Lucro Real, que poderão deduzir o valor investido no Imposto de Renda, até o limite de 4%. O procedimento de patrocínio e dedução é bastante simples:

1. O MinC (Ministério da Cultura) aprova o projeto cultural e publica no Diário Oficial da União o prazo e o valor autorizados para captação de recursos.

2. O MinC abre uma conta específica para o projeto cultural aprovado, exclusiva para

movimentação financeira do mesmo.

3. A empresa faz o depósito do patrocínio na conta exclusiva do projeto cultural.

4. O proponente habilitado fornece o recibo padrão do MinC contendo todos os dados do projeto cultural para a empresa patrocinadora.

5. Com o recibo em mãos, a empresa está apta a realizar a dedução do valor investido

diretamente na sua declaração de Imposto de Renda.

6. A empresa patrocinadora não tem qualquer relacionamento com o MinC ou outro órgão do Governo Federal para efetivar a dedução. Toda a responsabilidade pela liberação da conta, execução e prestação de contas do projeto cultural, assim como todo e qualquer procedimento junto ao MinC é de responsabilidade exclusiva do proponente. 

PERGUNTAS FREQUENTES E AS RESPOSTAS

Quem pode incentivar?

Podem incentivar projetos culturais:

- Pessoa Jurídica - desde que tributada com base no Lucro Real;

- Pessoa Física - desde que faça declaração completa do Imposto de Renda.

Quem pode ser proponente de um projeto cultural?

Podem ser proponentes de projetos culturais:

- Pessoa Física - desde que tenha ligação direta com o projeto em questão;

- Pessoa Jurídica - com ou sem fins lucrativos, desde que apresente natureza cultural.

Como pode ser o patrocínio?

O patrocínio pode ser total ou parcial, no caso de existir cotas. Quando existe um único

patrocinador, este pode assinar o evento. Exemplos: Prêmio TIM de música etc.

Como pode ser feito o abatimento fiscal?

Assim que o patrocinador faz o depósito na conta do projeto, é entregue a ele um recibo no valor do patrocínio. Esse recibo ele pode abater diretamente no imposto devido quando ele for efetuar o pagamento do IR.

Não existe nenhuma complicação? É burocrático?

Não é nada complicado e nem burocrático. Cabe ao contador apenas abater o recibo diretamente no IR devido, no ato do recolhimento, sem complicações.

Como são as deduções?

A pessoa jurídica, com base no lucro real, pode destinar para a Cultura, na forma de patrocínio, até4% do imposto devido. No caso de pessoa física esse percentual é de 6%. Caso a empresa decida fazer uma doação, o abatimento pode ser até 6%.

O patrocinador tem direito ao produto cultural?

O patrocinador tem direito a 10% do produto cultural. Por exemplo, no caso de concertos, ele terá direito a 10% dos convites, caso seja o patrocinador exclusivo.

Eu posso deduzir 100% do valor patrocinado?

Pode sim, desde que não ultrapasse o teto de 4% pessoa jurídica e 6% pessoa física. E desde também que o projeto tenha sido aprovado pelo artigo 18. Se ele for artigo 26, a dedução será de 30% , podendo ainda o recibo ser lançado como despesa, tendo um benefício a mais de até 34%, totalizando 64%. No caso do projeto da orquestra, que é música instrumental, o artigo é 18.

Como saber o valor que posso investir?

Você saber exatamente não tem como, nesse momento.

O que normalmente é sugerido é que você utilize como base de cálculo o que foi pago no ano anterior.

Vamos supor que você tenha pago R$ 1.000,00 de imposto de renda agora em 2011.

Pessoa física: poderia abater até R$ 60,00

Pessoa jurídica: poderia abater até R$ 40,00

Posso doar um valor maior que o que tenho para abater?

Pode sim, mas só poderá ser abatido do IR o limite que é de 4% pessoa jurídica e 6% pessoa física.

Vamos supor que você tem a pagar de imposto R$ 1.000,00

Você doou ao projeto o valor de R$ 300,00.

*Se for pessoa física, você vai poder abater só R$ 60,00. Portanto R$ 240,00 é doação direta sua.

*Se for pessoa jurídica, você vai poder abater só R$ 40,00. Portanto R$ 260,00 é doação direta sua.

Quais os cuidados que o patrocinador tem que ter antes de patrocinar?

Antes de depositar o valor do patrocínio, é aconselhável o patrocinador solicitar a publicação do projeto no Diário Oficial. Todo projeto aprovado pelo Ministério da Cultura é publicado no Diário Oficial da União.

Quais as vantagens de patrocinar um projeto cultural?

O retorno institucional é muito grande. Você associar a sua empresa a um evento prazeroso, que traz bem-estar, agrega valor à marca. Além do benefício fiscal e de agregar valor à marca, o investidor também tem seu nome divulgado em anúncios de jornal, rádio e TV; em banner, filipeta,outdoor ou outro meio de divulgação da marca, conforme previsto no projeto.

ENVOLVIMENTO DAS EMPRESAS

Qual a razão de vermos tantas instituições financeiras e empresariais criando suas fundações e associações culturais ou patrocinando ações culturais? Justamente porque é notório que o investimento em Cultura oferece um retorno de imagem institucional, muito satisfatório e, em alguns casos, até surpreendentes. Ainda tem o impacto comercial positivo, já que muitas empresas, principalmente no exterior, solicitam de seus fornecedores o balanço social para que possam contratar seus serviços ou mesmo adquirir seus produtos.

QUEM INVESTE EM CULTURA MERECE APLAUSOS

Sua empresa pode também ser aplaudida. Portanto, INVISTA EM CULTURA!

 

Lei de incentivo à cultura Caterpillar Supermercados Pague Menos Leve Mais Oji Papéis Especiais Bom Peixe 3marias AMPI Ministério da Cultura